100 anos do falecimento de Nadezhda Ziber-Shumova – Especial 100 curtidas

Em comemoração às 100 curtidas em nossa página no Facebook, resolvi fazer esta reportagem em ocasião dos 100 anos do falecimento de Nadezhda Ziber-Shumova que, acho que concordarão comigo, foi uma pessoa fantástica; e quase não se acha nada dela na internet.

Nadezhda Olimpievna Ziber-Shumova (1870s-1914) (vou dar alguns instantes até você conseguir pronunciar o nome inteiro) foi a primeira professora mulher de bioquímica na Rússia e co-fundadora do Instituto Imperial de Medicina Experimental em São Petersburgo, onde foi coordenadora do departamento de química e bioquímica. É considerada a mulher com o maior número de publicações em química antes do século XX (principalmente na década de 1880), e possivelmente a mulher mais importante em sua área antes da Primeira Guerra Mundial.

O Instituto Imperial de Medicina Experimental

O curioso é que Ziber-Shumova nunca teve educação formal. Fora autodidata desde a adolescência e estudou na Universidade de Zurique junto com sua irmã Ekaterina, estudante de medicina, e Nikolai Ziber, economista e seu futuro marido. Ziber-Shumova enfrentou muitas dificuldades em seus estudos, dentre eles a segregação sexual e o preconceito geral com mulheres na ciência, mas mesmo após o governo russo proibir mulheres em sua universidade (pela grande população de estudantes representarem um “perigo de revolução”), seguiu seus estudos na Universidade de Bern, onde conheceu Marceli Nencki (1847-1901), com o qual publicou muitos artigos em co-autoria.

Marceli Nencki (é, eu infelizmente não achei nenhuma imagem dela :/ )

Seus artigos variavam em temática, desde bioquímica como até estudos básicos de química. Nos anos de 1890 foi responsável pelas pesquisas para lidar com o problema da fome na Rússia, com várias publicações sobre doenças bacterianas que infectavam o gado.

Mas talvez mais importante que sua própria história seja o legado de Ziber-Shumova: ela estabeleceu o Prêmio M. W. Nencki para bolsas de pesquisa científica, escreveu e publicou a edição de dois volumes “Marceli Nencki Opera Omnia”, com mais de 353 artigos de Nencki, co-autores e associados que veio a virar um dos mais completos manuais para o desenvolvimento posterior da bioquímica, e em 1909 doou 50.000 rublos (na época, o equivalente a 25.000 dólares) para a criação do Instituto Nencki de Biologia Experimental, inaugurado em Varsóvia, na Polônia, em 1918 e ativo até hoje.

O Instituto Nencki de Biologia Experimental hoje

Que pessoa fascinante!

The Horsehead Nebula*

Atualização 04/12/2014: Tendo em vista que não havia uma página da Wikipédia em português, aliás, página alguma em português de Nadezhda Ziber-Shumova, a criei baseada em minha pesquisa. Você pode conferí-la aqui

________________
Referências

Anúncios

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s